GRÂNDOLA, VILA MORENA Grândola, vila

Commenti

Transcript

GRÂNDOLA, VILA MORENA Grândola, vila
GRÂNDOLA, VILA MORENA
GRÂNDOLA, CITTÀ MORESCA
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena.
Grândola, città moresca
terra della fratellanza
è il popolo che più comanda
dentro di te, oh città.
Dentro di te, oh città
è il popolo che più comanda
terra della fratellanza,
Grândola città moresca.
Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena.
In ogni angolo un amico,
in ogni viso uguaglianza
Grândola città moresca
terra della fratellanza
terra della fratellanza,
Grândola città moresca
in ogni viso uguaglianza,
è il popolo che più comanda.
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade
Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade.
All'ombra d'una sughera
di cui non sapevo più l’età
giurai d'aver per compagna,
Grândola, la tua volontà.
Grândola, la tua volontà
giurai d'aver per compagna
all'ombra d'una sughera
di cui non sapevo più l’età
«Grândola, vila morena» di José “Zeca” Afonso, in “Cantigas de maio”, 1971

Documenti analoghi

Grândola, vila morena

Grândola, vila morena Dentro de ti, ó cidade Dentro de ti, ó cidade O povo é quem mais ordena Terra da fraternidade Grândola, vila morena. Em cada esquina um amigo Em cada rosto igualdade Grândola, vila morena Terra da ...

Dettagli